O iPhone 14 terá AOD, recurso que está no Android há 6 anos

Os vazamentos sobre iPhone 14 Eles não param de vir. Hoje é hora de falar sobre um recurso que eles vão incluir e que está em telefones Android há 6 anos. Falamos da AOD ou Always On Display, uma tecnologia que foi lançada pela Samsung em 2016 e está disponível em muitos dispositivos desde então. Agora a Apple parece ter encontrado a chave para implementar essa tecnologia em seu Iphone. E como tudo na empresa de Cupertino, ele traz polêmica debaixo do braço.

iPhones finalmente terão Always On Display

Samsung Galaxy S8 sempre ligado

Para usuários que não estão familiarizados com esta tecnologia, eles devem saber que ela foi implementada em 2016 por Samsung. Mantém parte do sempre na tela para mostrar detalhes como hora, data ou qualquer notificação. Mesmo quando você não toca no dispositivo, ele mantém parte da tela ligada.

O recurso não afeta muito o consumo de energia graças ao Painéis AMOLED. Estes mantêm tudo pixels desligados exceto alguns que exibem as informações. Graças a este sistema, a despesa é consideravelmente reduzida e um ótimo recurso é oferecido ao usuário.

Os relatórios atuais dizem que Apple vai incluir esta tecnologia no iPhone, cerca de 6 anos depois de ter sido lançado em celulares Android. O iPhone usará sua tecnologia LTPO e o taxa de atualização adaptável para minimizar o gasto de energia.

Quando tela do iPhone exibir informações como a hora ou as notificações diminuirão o Hz para a quantidade mínima de 1Hz. Isso, somado ao blecaute do restante dos pixels, reduzirá o consumo. Parece mentira que A Apple levou apenas 6 anos em perceber que ele poderia implementar algo assim.

A polêmica com o AOD no iPhone é servida

O relatório não fala apenas da novidade do Sempre em exibição em iPhones, também dos modelos que serão compatíveis. Como pode ser lido na Bloomberg, apenas o iPhone 14 Pro e o iPhone 14 Pro Max poderão usar o ODA.

Por quê? É feita referência às limitações de hardware do restante dos dispositivos. Quer dizer, que o iPhone 14 de 800 euros não poderá ter Always On Display, apenas o iPhone 14 Pro de 1.149 euros ou o Pro Max de 1.249 euros. É engraçado isso celular de médio porte são capazes de implementá-lo e a Apple só pode fazê-lo em dispositivos acima de 1.000 euros.

Claro, a controvérsia é baseada em rumores e relatórios preliminares, não em informações oficiais. A Apple pode se comportar e estrear o Always On Display em todos os novos modelos de 2022. Além disso, pode lançá-lo em anos de modelos anteriores também com uma simples atualização. Em setembro veremos se o dinheiro ou os usuários prevalecem.